Impresso de pt.chabad.org

Felicidade: Como Exercitá-la

Felicidade: Como Exercitá-la

E-mail

Certa vez, o Rebe encorajou um estudante muito inteligente a inspirar seus colegas a buscarem não somente os estudos acadêmicos, mas também os estudos espirituais.

"Minha agenda está sempre tão lotada, não sei como eu poderia acrescentar mais alguma atividade" – disse o estudante. E então, percebendo que a agenda do Rebe era muito mais sobrecarregada, ele disse: "Sinceramente, não entendo onde o senhor arranja força e energia para trabalhar assim."

"Toda pessoa tem um corpo e uma alma" – disse o Rebe. "É como um pássaro e suas asas. Imagine se um pássaro não soubesse que suas asas lhe permitem voar; então elas seriam apenas um fardo extra no seu peso. Mas assim que ele bate as asas, elas o erguem na direção do céu. Todos nós temos asas – nossa alma – que pode nos elevar tão alto quanto o desejarmos. Tudo que precisamos fazer é aprender a usá-las."

Como é a sua vida?

Se você é como a maioria das pessoas, é feito de incontáveis pedaços de atividade fragmentada: exercício, trabalho, refeições, conversas, diversão, sono. Some os pedaços dia após dia, ano após ano, e você terminará com uma vida inteira dividida em milhões de fragmentos, sem um fio a uni-los. A fragmentação abala nossa paz de espírito, criando tensões e ansiedade latentes. No decorrer do tempo, os fragmentos se acumulam e começam a sufocar sua alma, o ser interior que anseia por um propósito e uma direção. Não admira que depois de quarenta ou cinqüenta anos labutando através de dias tão disparatados, acordamos um dia e de repente nos perguntamos:
"Então é isso a vida? Sou realmente feliz?"

Uma vida feliz é sinônimo de uma vida significativa, e todos queremos viver vidas significativas. Esforçamo-nos continuamente para deixar nossa marca na humanidade. para contribuir com algo de valor para o nosso mundo.

Ao reconhecer que dentro de seu corpo existe uma alma Divina, uma alma que pode dar propósito à vida e elevar-se acima dos assuntos mundanos da vida cotidiana, você começa a colocar os pedaços de sua vida fragmentada em ordem. Você enxerga sua vida sob uma perspectiva mais ampla, santificando todos os momentos – não apenas enquanto está estudando, rezando ou praticando atos de caridade, mas até quando está comendo e dormindo, em casa ou no trabalho, viajando ou em férias. Em vez de desempenhar suas atividades diárias de cor, você descobre a Divindade dentro de cada uma delas.

A chave da felicidade: unir corpo e alma

Para ser uma pessoa feliz e saudável, seu corpo e alma devem trabalhar em perfeita harmonia. Isso significa unir o corpo e a alma para cumprirem a missão pela qual fomos colocados no mundo; levar uma vida produtiva, significativa e virtuosa, transformando este mundo numa morada para D’us. Se você sabe como malhar seu corpo, aprenda também a malhar sua alma!

Ambos estão em conflito constante: o corpo procurando basicamente satisfazer suas necessidades, e a alma procurando transcendência e unidade. O primeiro passo para lidar com este conflito é reconhecer que o conflito existe, e estar consciente de duas forças distintas. Pensar que somos uma única entidade leva à confusão e ao desespero: um dia somos virtuosos e no outro somos egoístas; um dia estamos motivados, no seguinte procrastinamos.

A única maneira de unir corpo e alma é aceitar que D’us é muito mais elevado que nosso limitado ser. A alma, por causa de sua natureza transcendente, pode elevar-se acima do egoísmo mais facilmente que o corpo, por meio do estudo e prece, para reconhecer sua verdadeira missão. Somente então o corpo poderá elevar-se à sua verdadeira proeminência – quando serve como veículo para a alma, em vez de agir sob seu próprio poder, com suas necessidade e desejos egoístas. Assim que o corpo reconhece o domínio da alma e faz as pazes com sua irmã gêmea, a tensão pode ser adequadamente domada.

A felicidade exige ação

Não basta reconhecer sua alma, você deve efetivá-la, associando-a com o corpo para ajudar uma pessoa em necessidade, ouvir um amigo que sofre, ajudar a fornecer comida ou agasalho para quem não pode comprar. Estes se tornam mais que simples atos de bondade; tornam-se nutrição para sua alma e um meio de fazer bom uso espiritual de seu corpo físico.

A verdadeira felicidade é a fusão de corpo e alma dedicados a uma causa maior, uma causa que beneficie a humanidade e dê significado e paz interior ao indivíduo que está passando pelo processo.

Quando você acorda pela manhã, enquanto ainda está na cama, pense por um momento: o que significa estar acordado e vivo?

Comece cada dia com uma prece, agradeça a D’us pelo novo dia, pela sua saúde, pelo seu trabalho, por seus amigos ou filhos. Pense naquilo que gostaria de realizar para que o dia de hoje seja significativo. Se você treinar-se para fazer isso todas as manhãs, começará imediatamente a ver sua vida sob um novo foco, mais nítido e mais robusto e consistente.

Você deveria terminar seu dia assim como o começou. Quando se preparar para dormir, reveja seu dia e como você utilizou as oportunidades. Reconheça que D’us o colocou aqui para um propósito, e que todas as suas atividades deveriam expressar aquele propósito. Vá dormir com a resolução de que não importa quanto o dia de hoje foi bom – ou mau – amanhã será melhor. Assim fazendo, seu sono será mais tranqüilo, e seu despertar mais significativo.

Quatro motivos para ser feliz

Por Yanki Tauber,
Baseado nos ensinamentos do Rebe

1 – Porque é uma maneira boa de conseguir que as coisas aconteçam.
Para citar o clássico chassídico Tanya, de Rabi Shneur Zalman de Liadi (1745-1812): "Assim como no caso de dois indivíduos lutando, cada qual tentando derrubar o outro, se um deles se mover devagar e com letargia, será facilmente derrotado e cairá, mesmo que seja mais forte que o oponente. Assim, também, ao lutar contra a má inclinação, a pessoa pode vencê-la… somente com o entusiasmo que vem do júbilo e de um coração livre e purificado de qualquer traço de preocupação e tristeza." Aplica-se a lutas, batalhas morais e tudo que esteja entre estes dois extremos.

2 – Porque é algo bom e positivo.
Por que a alegria deveria ser apenas um instrumento, um meio para um fim? É algo de bom por si mesma, uma maneira melhor de ser. E não é difícil de se conseguir. Simplesmente concentre-se em todas as coisas boas que você tem e nas quais faz parte, e no quanto elas são mais reais e duradouras que as coisas assim não tão boas. Portanto, mesmo que as últimas atualmente estejam acontecendo na sua vida, elas não deveriam estar ali. Mande-as embora e ponha em jogo as coisas boas.

3 – Porque é uma época feliz.
Ser feliz às vezes precisa de um esforço para conseguir, como no número 2 acima. Porém há tempos em que a felicidade está no ar, e tudo que você precisa é abrir-se a ela, e permitir que entre na sua alma. Estamos agora numa dessas épocas. Não é preciso fazer nada para senti-la – apenas não a expulse.

4 – Porque é isso que você é:
Este não é realmente um "motivo", portanto creio que isso significa que na verdade existem três motivos, não quatro. Os mestres chassídicos dizem que nossa alma é "literalmente uma parte de D’us". Portanto a alegria, em última análise, não é uma técnica a dominar, não é uma meta a atingir, nem sequer um estado ao qual se entregar. É aquilo que somos, em virtude de nosso vínculo com Aquele para quem "Força e júbilo são Seu local" (I Divrê-Hayamim 16:27). Por que se esconder daquilo que somos?

© Copyright, all rights reserved. If you enjoyed this article, we encourage you to distribute it further, provided that you comply with Chabad.org's copyright policy.
E-mail
1000 Caracteres restantes
Envie-me e-mail quando novos comentários forem postados.
Sort By:
Discussão (1)
10 Março, 2011
Motivo para ser feliz
Só quero agradecer pelos ensinamentos - (como ser feliz é um exemplo )
Anônimo
Rio de Janeiro, RJ-Brasil
lubavitchcopacabana.org
DESTAQUE EM PT.CHABAD.ORG